Bolsonaro pode deixar o PSL

B

Do Globo

Fonte de problemas para o governo, o PSL passou a irritar o presidente Jair Bolsonaro que, em conversa com líderes partidários na última semana, chegou a confidenciar o desejo de deixar a sigla no futuro.

Bolsonaro se filiou ao PSL em março do ano passado, para disputar a Presidência. Até então, era um partido nanico, com apenas oito deputados, nenhum senador e pouca expressão nacional. Na prática, o presidente “manda” na sigla, em acordo com seu presidente, Luciano Bivar.

Mas a expansão do partido sob Bolsonaro, com 54 deputados e 4 senadores, colocou o PSL nos holofotes, e a sigla vive uma sucessão de problemas e conflitos internos. Na conversa da semana passada, Bolsonaro afirmou que, se vier a disputar a reeleição, deve ser por outro partido.

Com a eleição de 2022 distante e o governo ainda buscando deslanchar as reformas na pauta do Congresso, as reclamações de Bolsonaro numa reunião com líderes do PR foram entendidas pelos interlocutores mais como um desabafo do que como um plano na iminência de se concretizar.

Estavam presentes na conversa o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o líder do PR no Senado, Jorginho Mello (SC), o senador Wellington Fagundes (MT), o líder do PR na Câmara, Wellington Roberto (PB), e o ex-ministro de Dilma Rousseff Alfredo Nascimento.

O desabafo de Bolsonaro foi relatado ao GLOBO por dois participantes do encontro que disseram que o presidente afirmou que “não dava para continuar no partido” e que seria “muita confusão” para administrar.

Procurado para esclarecer as declarações do presidente, o Planalto disse que não iria comentar o assunto.

 

Sobre o autor

Laurita Arruda
Laurita Arruda

Laurita Arruda , jornalista e advogada, com opinião formada sobre (quase tudo), observadora da cena e único compromisso; respeito à verdade! #TLvive #novoTL

Adicionar comentário