MPF acha Identificação com o Executivo ruim para serviço público

M

Em referencia a Augusto Aras, indicado por Jair Bolsonaro (PSL) para a PGR (Procuradoria-Geral da República) por fora da lista tríplice, procuradores disseram, em atos pelo país, que não aceitarão “um procurador geral que seja identificado com o Poder Executivo”.

Mesmo sem ser – ainda – um dos Poderes da República, os integrantes do movimento dizem não aceitar a indicação de um Chefe da Procuradoria nomeado por quem tem essa atribuição constitucional,  o Presidente da República, eleito por maioria absoluta de votos.

E discutem fazer um boicote caso o Senado, venha a referendar a escolha presidencial, como diz a Lei. O Ministério Público Federal também declarou guerra ao Supremo Tribunal Federal.

NO SENADO

Do Presidente do Senado Davi Alcolumbre, sobre a indicação de Augusto Aras e sua tramitação no Congresso: “O perfil de um Procurador de carreira que está enquadrado nas orientações para ocupar a Procuradoria Geral da República foi escolhido pelo Presidente do Brasil. o Senado vai sabatinar e vai aprovar ou rejeitar”.

Sobre o autor

Cassiano Arruda
Cassiano Arruda

Jornalista e escritor.

Adicionar comentário

Raio-X Marketing Carratu Digital
Cassiano Arruda Por Cassiano Arruda