“Não é só o brasileiro que come feijoada”

&

Nosso parceiro de gastronomia John Constantinou é um expert-estudioso quando o assunto é boa comida.

Certo dia afirmei ao mesmo que adoro feijoada. Então, Ele pegou o gatilho e nos presenteou, pensando em Vocês, nossos leitores, com a seguinte curiosidade: “não é só o brasileiro que come feijoada”.

Realmente, a gente pensa que feijoada é coisa de brasileiro, como caipirinha também, entre outras delícias.

Mas, segundo John

Não é só o brasileiro que come feijoada

Muita gente acha que os inventores de feijoada foram os escravos das senzalas.

A verdade, dizem alguns historiadores brasileiros, é que ninguém sabe quem inventou o prato, e que “nem índios nem negros tinham o costume de misturar feijão com carnes”.

 

Historicamente, já era apreciado na Europa desde os tempos do Império Romano. Essa seria a origem de pratos como:

o cassoulet francês – um ensopado de feijão branco com linguiça de porco e carne de pato.

Cassoulet

Na região das Astúrias, norte da Espanha, também há uma iguaria desse tipo: a tradicional fabada, que mistura feijão branco com carnes pouco nobres como orelha e rabo de porco.

 

E o cozidão árabe?
Um dos pratos mais tradicionais do Oriente Médio é o fassulha, um ensopado de feijão branco com carne de carneiro – a culinária de lá está entre as mais antigas do mundo. Será que a feijoada na verdade é de origem árabe?

 

O que pode ter sido inventado no Brasil, portanto, não é a feijoada, mas a feijoada de feijão preto – trazido da África nos mesmos navios que transportavam os escravos.

O que acharam? Interessante, não é?!

Bom almoço!

Sobre o autor

Bebeto Torres
Bebeto Torres

Bebeto Torres é administrador e professor universitário. Por acreditar que se reinventar é preciso, aliando vocação e vontade, topou o desafio de atuar no universo digital. Com olhar aguçado e opinião é o novo colunista do TL. O Colunista Social.

2 comentários

Raio-X Marketing Carratu Digital
Bebeto Torres Por Bebeto Torres