O ícone atemporal Gabrielle Coco Chanel

O

Gabrielle Coco Chanel

Vendo os desfiles atuais, inclusive o da Chanel, vejo a loucura fashion dos novos estilistas.

A Chanel ainda não anunciou o substituto para o kaiser Karl Largerfeld, sua Equipe criativa está tocando o barco, tudo segurado pelo poder da marca criada por Gabrielle Coco Chanel.

A título de curiosidade leve, pois hoje é sábado, uma tarde de fim de semana, enumero a seguir, cronologicamente, os feitos históricos dessa grande mulher, a única estilista presente na lista das 100 pessoas mais importantes do século XX, da Revista Time:

1910Coco abre sua primeira loja em Paris.

1913 – Começa a se inspirar em roupas masculinas para criar uma moda mais confortável.

1918 – Libertou a cintura dos espartilhos, encurtou o vestido e abriu a Casa Chanel, na Rua Cambon, nº 31, em Paris.

1945 – Fechou as portas na II Guerra, mas se viu obrigada a reabrir a marca ao perceber designers homens colocando mulheres em trajes apertados.

1954 – Após ser criticada na França, conquistou atrizes de Hollywood.

E por aí vai o sucesso estrondoso que todos conhecemos, sucesso global.

Faleceu em 1971, mas deixou o legado que também conhecemos e que ainda vive.

Sobre o autor

Bebeto Torres
Bebeto Torres

Bebeto Torres é administrador e professor universitário. Por acreditar que se reinventar é preciso, aliando vocação e vontade, topou o desafio de atuar no universo digital. Com olhar aguçado e opinião é o novo colunista do TL. O Colunista Social.

Adicionar comentário

Raio-X Marketing Carratu Digital
Bebeto Torres Por Bebeto Torres