PROEDI: Quem cala (nem sempre) consente

P

A reunião da Governadora Fátima com um grupo seleto de prefeitos tarde de sexta-feira (ontem) no Centro Administrativo não foi de amplo acordo e satisfação parte a parte como a assessoria e aliados governistas quiseram transparecer.

Muito antes pelo contrário.

O momento de pressão, inclusive com aval de alguns deputados presentes ajudou para que o silêncio e consequente consentimento existisse por parte dos municípios.

Este TL chegou a conversar com alguns prefeitos presentes à reunião. O sentimento? Tristeza, decepção, preocupação, falta de perspectiva até.

E foi bom para quem?

– Para o Governo do Rio Grande do Norte .

Na conta de alguns prefeitos o prejuízo final com o Decreto do PROEDI é de R$ 80 milhões. Fátima se comprometeu a compensar R$ 10 milhões em atenção básica e farmácia básica, que já seria dever do Estado.

Ainda na conta dos municípios a troca foi desigual. Com o antigo PROADI a receita deles era de 25% e nenhum Governo anterior ousou interferir nessa fatia. Agora, com o PROEDI, passará a recebe 7%.

Isso tudo através de um Decreto sem debate prévio ou anuência da Assembleia Legislativa e dos prefeitos municipais. Um decreto que muitos enxergam inconstitucional.

Na reunião de ontem não estavam presentes os prefeitos das maiores cidades do Rio Grande do Norte.

Ainda há quem acredite no viés da judicialização. Embora, se saiba que o rolo compressor do Governo Fátima aliado a FIERN atuou em diversos seguimentos.

Até agora, fica o exemplo; quem cala nem sempre consente.

Quem cala também é porque tem medo. De piorar o que já está ruim.

Sobre o autor

Laurita Arruda
Laurita Arruda

Laurita Arruda , jornalista e advogada, com opinião formada sobre (quase tudo), observadora da cena e único compromisso; respeito à verdade! #TLvive #novoTL

Adicionar comentário

Raio-X Marketing Carratu Digital
Laurita Arruda Por Laurita Arruda