RN recebe os maiores nomes do voo livre mundial

R


Alguns dos maiores nomes do voo livre mundial marcaram encontro no nosso Rio Grande do Norte, na próxima segunda-feira, em três cidades: Patu, no Alto Oeste; Assú, na vale do Açu; e Parelhas, no Seridó, que oferecem algumas das melhores condições para o esporte em todo o mundo, embora Quixadá, no Ceará, uma cidade bem maior, com 85 mil habitantes, disponha de melhor infra estrutura para receber os pilotos.

Um grupo de 15 pilotos, de vários países que estão chegando para melhorar as próprias performance, inclusive sonharem como recordes; um deles vem resistindo desde 2016, quando permitiu um voo de 564 quilômetros, durante onze horas.

O grupo de pilotos está programado para ficar por aqui até novembro, quando as condições atmosféricas são ideais e acontecem os melhores ventos favoráveis para voo de crosscountry  (longa distância).

O RN não conseguiu ainda divulgar as suas condições para o voo livre, nem conta com com empresas organizadas para oferecer apoio local aos pilotos que vem de países como República Tcheca, Eslovênia, Polônia, Japão, Suíça e Alemanha.

A vez do Parapente

O Parapente é uma das disciplinas mais apaixonantes do voo livre, cujo objectivo é voar utilizando as forças da natureza. É uma atividade inebriante onde é necessário recorrer à força do piloto para a descolagem e aterragem. O Parapente foi desenvolvido a partir da década de 60, mas só chegou à Europa em 1978, altura em que se começou a praticar o voo livre nas zonas montanhosas.

Para iniciar o seu voo necessita de um desnível, pois voa-se frequentemente nas falésias, junto às praias e nas montanhas. Com o Parapente aberto, basta fazer uma pequena corrida para se lançar da ravina e assim iniciar a fantasia, começa a voar e dá asas ao sonho.

Os percursos traçados poderão ser longos para que desfrute de um sentimento único de libertação durante várias horas (a melhor hora do dia varia entre 11h30 e as 15h00), graças às térmicas (corrente de ar quente ascendente) que permitem ganhar altura às aeronaves que a atravessam. Por outro lado, o exercício da modalidade pode atingir velocidades entre 25 e 60km/h e atingir altitudes de 3000 metros. A velocidade do vento é o fator principal para obter uma ótima exibição, pois se o dia estiver com muito vento não é aconselhável a prática do Parapente.

Sobre o autor

Cassiano Arruda
Cassiano Arruda

Jornalista e escritor.

Adicionar comentário

Raio-X Marketing Carratu Digital
Cassiano Arruda Por Cassiano Arruda