RN tem de passar de “C” para “B” se quiser dinheiro federal

R

Nosso Rio Grande do Norte  para se beneficiar do programa de ajuda pelo qual o Tesouro Nacional dará aval a empréstimos para Governos Estaduais que hoje tem baixa capacidade de pagamento, se apresentarem um plano de ajuste fiscal de quatro anos.

O Plano prevê que os Estados adotem medidas que elevem sua classificação como pagadores de “C” para “B”. Pelos critérios do Governo, a Capacidade de Pagamento (Capag) dos Estados varia de A a D. Aqueles que são rotulados de A ou B podem tomar empréstimo garantidos pelo Tesouro. Já os que os classificados como  C e D são considerados de risco e, por isso, não recebem aval da União.

A expectativa é que a União conceda garantira para um total de R$ 40 bilhões em financiamentos até 2022 para os Estados, que precisam apresentar um plano viável de ajuste. A ideia do Governo Federa é que o aval para os empréstimos seja liberado em etapas, conforme resultados concretos apresentados. Se algum compromisso for descumprido, o Tesouro suspenderá o aval. As fontes de financiamento devem ser bancos privados internacionais.

O RN é o sétimo Estado com maior percentual da receita já comprometida: 07.4%, e tem, atualmente classificação “C” na avaliação do Governo Federal,  podendo alcançar o B e o empréstimo.

Sobre o autor

Cassiano Arruda
Cassiano Arruda

Jornalista e escritor.

Adicionar comentário